Aumenta pressão baixista na arroba bovina; Suíno e frango fecham em alta 13/02/2017

Boi Gordo: Semana encerra com poucas alterações, mas pressão de baixa persistente


Frigoríficos na defensiva, ofertando preços abaixo da referência. Assim, a pressão baixista permanece no mercado do boi gordo. 

Exceções ocorrem para lotes situados próximos das indústrias e de maior qualidade. Nestes casos ocorrem pagamentos dos preços de referência ou até acima destes.

Na média de todas as praças pecuárias pesquisadas, a queda semanal para a cotação do boi gordo foi de 0,4%.

Na contagem das praças, foram dezesseis as que registraram quedas, quatorze ficaram estáveis e duas subiram.

Nesta semana, a carne bovina com osso encontrou força para subir 1,3%, contudo a queda frente ao verificado no início do ano é de 6,0%. 

A carcaça de bovinos castrados está cotada em R$ 9,41/kg no atacado.

 

Suíno vivo: Altas de fevereiro se confirmam pela segunda semana

As cotações do suíno vivo no mercado independente seguiram a tendência altista nesta semana. Como era esperado pelo setor, o forte ritmo das vendas externas tem garantido maior liquidez no mercado.

Mas, além do interesse pelos animais vivos, há neste período redução na disponibilidade de matéria-prima que também colabora com o viés altista.

O levantamento de preço realizado pelo economista do Notícias Agrícolas, André Lopes, apontou alta em sete das oito praças pesquisadas. A maior valorização percentual ocorreu em São Paulo [13,13%], onde o animal vivo saiu de R$ 4,80 para R$ 5,44/kg nesta semana.

Os levantamentos do Cepea (Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada) também destacaram que a média das cotações em todas as regiões pesquisados superou os cinco reais, pela segunda vez na história.

O Centro relata que em algumas regiões os preços nessa semana chegaram a R$ 5,30/kg, o mais elevado na série histórica do Cepea.

O preço do suíno vivo no mercado independente de Santa Catarina atingiu nesta semana o maior valor desde 19 de novembro de 2014, sendo cotado a R$ 4,50. Com alta de R$ 0,45 os suinocultores comemoram o desempenho atípico do mercado neste início de ano.

"O mercado tem se mostrado bastante firme nos últimos dias. Muitos foram os pedidos de cargas extras e os animais do plantel como um todo estão leves o que nos leva a uma situação positiva ao produtor", conta o gerente geral da Arapé Agroindústria, Roberto Magnabosco.

A explicação para o cenário altista é a redução de oferta em todo o país, aliado ao estoque enxuto das agroindústrias. “Não há suíno pesado no mercado, à oferta está baixa e as grandes indústrias estão procurando suínos no mercado independente”, destaca o presidente da Associação Catarinense de Criadores de Suínos (ACCS), Losivanio Luiz de Lorenzi.

Exportações

Para os pesquisadores do Cepea o desempenho das exportações é o grande responsável por esse cenário atípico de alta.

Segundo dados do Ministério da Indústria, Comércio Exterior e Serviços, divulgado nesta segunda, o país embarcou 11,3 mil toneladas de carne suína in natura na primeira semana de fevereiro (três dias úteis). Na comparação com igual período do ano passado houve incremento de 27,8% no volume.

Frango vivo: Melhora na liquidez garante altas na semana

As cotações do frango vivo registraram ligeira melhora nesta semana com liquidez maior no atacado e varejo.

Após enfrentar um longo período de baixas, em reflexo ao crescimento no alojamento de pintos em dezembro - cerca de 10% superior - o mercado parece começar um processo de ajuste dos estoques.

O levantamento de preço realizado pelo economista do Notícias Agrícolas, André Lopes, apontou recuperação em duas praças. A maior alta ocorreu em São Paulo com valorização de 4%, deixando a ave viva cotada a R$ 2,60/kg. Seguido de Minas Gerais onde o preço saiu de R$ 2,70/kg para R$ 2,80/kg.

"Apesar de os estoques estarem mais ajustados, alguns frigoríficos brasileiros querem ampliar as exportações de cortes como o filé, devido à dificuldade de vendas no mercado doméstico", destaca o Cepea (Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada).

Segundo boletim semanal do Centro, embora haja melhora na liquidez os preços da carne de frango continuam nos menores patamares do ano.

O frango inteiro resfriado negociado no mercado atacadista da Grande São Paulo fechou a semana em R$ 3,73/kg, queda de 0,4% no mês. Quanto ao produto congelado, o valor médio foi de R$ 3,76/kg, desvalorização de 4% no mesmo período.

Exportações

As exportações de carne de frango 'in natura' totalizaram 56,8 mil toneladas nos três primeiros dias úteis de fevereiro, segundo dados divulgados pelo Ministério da Indústria, Comércio Exterior e Serviços nesta segunda (6).

Os embarques representam um avanço de 25% em relação ao mesmo período do ano passado, e 28% na comparação com o mês anterior.

Fonte: Notícias Agrícolas
Ouvidoria: 0800-724-3080 | Telefone: (18) 3311-0800 | Fax: (18) 3311-0815 | Rua Claudionor Sandoval, 741 - Jd. Paulista - Pres. Prudente-SP
COPYRIGHT © 2012 - Cross Investimentos - Consultoria Empresarial - Todos os direitos reservados - Desenvolvido por: Luz Própria - Criação de Sites